Blog

BLOG 04 mar 2020

[INFOGRÁFICO] Água virtual: o consumo de água que não vemos

Você sabe o quanto de água consome? Se olhar apenas para sua conta de água, ainda não conseguiu contabilizar tudo. Isso porque a água está envolvida em processos de produtos que já citamos aqui, como roupas. Mas vai além, até nos alimentos que compramos, objetos do dia a dia, combustível. Isso se chama água virtual!

Para medir, por exemplo, o total de água usada para a fabricação de uma folha de papel, deve-se levar em conta o total utilizado no processo de produção das árvores e dos produtos que darão origem à mata, não somente a água usada na indústria. Por isso, quando você usar uma folha de sulfite, saiba que foram gastos 10 litros de água para fazê-la.

Criamos um infográfico com 20 produtos que levam bastante água em sua produção. Confira abaixo:

Tags:

BLOG 26 fev 2020

O consumo de água na indústria têxtil

A indústria têxtil consome 93 trilhões de litros de água todos os anos! O que significa 4% da captação mundial de água doce anual. Para cultivar 1kg de fibra de algodão, são necessárias de 7 a 29 mil litros de água. Uma camiseta, por exemplo, consome quase 2kg de combustíveis fósseis e quase 3 mil  litros de água. Também, em média, são consumidos 10 mil litros de água para fabricar uma calça jeans e 8 mil para um par de sapatos.

Já parou para pensar no consumo de roupas? Você acumula bastante peças ou não? Qual é a real necessidade de consumirmos tantos recursos vitais do planeta pra gente ter mais peças de roupa? A ONU estima que até 2025 cerca de dois terços da população mundial estará sem água. Por isso, as peças de roupas não podem ser descartadas após poucas vezes de uso, ou simplesmente comprar por impulso algo que você geralmente não usa.

Algumas empresas investem em novas tecnologias para reduzir o impacto da produção têxtil. Uma empresa espanhola desenvolveu um novo método para tingimento do jeans, por exemplo:  eles utilizam um sistema mais seguro, o laser, fazendo com que a impressão seja de uma maneira mais sustentável e segura para os trabalhadores que manipulam este vestuário.

Movimento Upcycling

Muitas pessoas apostam em movimentos que significam a reutilização e novos significados de itens que seriam descartados. O mesmo ocorre com roupas. Ao invés do acúmulo, a venda e troca de roupas em bazares e brechós. Desta forma, evita-se o consumo desenfreado e ainda economiza água de forma indireta. Isso porque se a peça está em boas condições, pode ser utilizada por mais pessoas e sua vida útil aumenta.

A pegada sustentável também já é preocupação das fabricantes e marcas de roupas. O consumidor quer produtos que usem poucos recursos mas que mantenham a mesma performance, que estejam disponíveis quando ele quer e que incorporem uma visão ecológica. Assim, buscar empresas que estejam engajadas em processos mais sustentáveis e que evitem o consumo exacerbado de água e não poluam o meio ambiente.

Tags:

BLOG 05 nov 2019

Os cuidados preventivos e de manutenção com poços artesianos

Nós já falamos muitas vezes sobre as vantagens de ter um poço artesiano em sua empresa, condomínio ou residência. Em tempos de escassez da água, os poços artesianos se tornam soluções procuradas por quem não pode ficar sem abastecimento.

É um investimento com retorno rápido, que garante uma água limpa e pronta para uso e consumo.

E quem já tem um poço em funcionamento? Como funcionam as manutenções?

É na etapa de manutenção do poço que todas as vias de transporte da água serão limpas e desentupidas, principalmente para manter a boa qualidade da água e o bom funcionamento da bomba, além de desentupir filtros, realizar reparos na própria bomba entre outros pontos que possam ser necessários.

No site do Instituto das Águas existem recomendações de como realizar a desinfecção dos poços artesianos, você pode ler completo clicando aqui. Mas muitas empresas precisam terceirizar estes cuidados, e a Perfugel realiza a manutenção de poços, por meio de assistência e venda de equipamentos.

Os poços em funcionamento apresentam sinais de quando precisam de manutenção, principalmente quando há alteração de cor e cheiro na água. Chamar uma equipe especializada é de suma importância, já que a deterioração avançada tem um custo elevado ou até mesmo o encerramento do poço.

Outros cuidados importantes englobam a prevenção quanto a contaminação do poço e do lençol freático, sendo que este último pode sofrer com contaminações do próprio despejo de água em lugares inapropriados. Quando um grande volume de água é descartada no solo, esta carrega para o aquífero todos os elementos contidos no caminho até a água subterrânea, mudando suas características químicas na região do poço. Uma maneira de evitar este tipo de contaminação, é instalando uma laje sanitária, com o papel de impedir que eventuais vazamentos alcancem o solo e, consequentemente, o reservatório.

A Perfugel, além da manutenção, tem um sistema de automação que monitora seu poço, antecipando trocas e cuidados, trazendo dados também sobre a qualidade da água, minerais presentes, entre outros aspectos importantes. É a garantia de que a água estará sempre adequada para uso! Deseja saber mais? Fale conosco!

BLOG 31 out 2019

Como evitar o desperdício de água em casa

Uma boa notícia no Brasil é que, na grande São Paulo, o consumo de água já reduziu 15% nos últimos 4 anos. Isso é reflexo do início da seca no Sistema Cantareira e um programa de desconto na conta para quem reduzisse o gasto.

Outra mudança na região foi o consumo de água por habitante. Em 2013 era de 169 litros por habitante/dia e, em 2017 foi para 129 litros por habitante/dia. Segundo a UN Water, divisão da ONU com especialistas em água, o ideal é de 100 litros por pessoa, por dia, o que seria suficiente para todas as necessidades.

Estas iniciativas, junto com educação e conscientização ajudam não somente o bolso, como também a preservação da água. Por isso, separamos dicas para você também usar a água de forma consciente.

Reaproveitamento de água em casa

  • A água que sai da máquina de lavar pode ser utilizada para lavar quintal e na descarga do banheiro. Basta manejá-la para um balde. A cada ciclo de uma máquina consome-se, em média, 135 litros de água.
  • Ao limpar quintal, o ideal é varrer, assim, evita usar a água para carregar o lixo.
  • Banhos mais curtos também é uma grande recomendação. Desligue enquanto esfrega o corpo ou massageia o cabelo, voltando a ligar apenas para enxaguar.
  • A higienização de alimentos também requer cuidados. Utilize a torneira aberta somente no momento de enxaguar as hortaliças, deixando a torneira apenas em meia volta. Já é o suficiente.
  • Alimentos que vão para cocção não necessitam passar pelo processo de desinfecção,. o que ajuda a poupar água.
  • A água que você usa para desinfetar alimentos pode ser utilizada para limpeza do chão.
  • Ao lavar louça, primeiro ensaboe os utensílios e depois ligue a torneira. Considerando que você reduza o tempo que a torneira fica aberta de 15 para 5 minutos, resulta em uma economia de 170 litros de água a cada lavagem. Ao longo de um ano, essa economia de água é o suficiente para abastecer sua casa durante dois meses.

Existem outras medidas para economizar água de forma indireta. Muitas pessoas já estão aderindo à campanha Segunda Sem Carne. Um dia na semana sem comer alimentos de origem animal ajuda a economizar 3,4 mil litros de água que é utilizada no cultivo de grãos e nos abatedouros. Uma outra chance de ajudar o meio ambiente e ainda economizar é vender ou trocar suas roupas em brechós. Isso porque a linha de produção têxtil também utiliza água em seu processo, e não é pouco: para fazer uma calça jeans, por exemplo, são utilizados 10 mil litros de água.

BLOG 29 out 2019

Cidades que já são exemplos em economia de água

Um dado muito importante é que dois terços da humanidade vivem em regiões onde há escassez de água ao menos uma vez por mês, e nossa demanda de água deve aumentar 50% até 2030, ou seja, em pouco tempo. Os recursos hídricos se tornaram os principais riscos globais nesta década.

No entanto, alguns países já estão tomando medidas para economizar este recurso tão vital. Vamos citar cinco iniciativas que promovem o reuso e o combate de desperdício de água.

Pequim

A China está entre 13 países listados pela ONU com grave falta de água. Ao todo, o país detém 6% da água potável, porém, sua população corresponde a 21% da população mundial. Pequim, particularmente, já consome mais água do que tem disponível. Para evitar grandes racionamentos, o governo investe em um programa de desvio de rios, nos quais os rios localizados ao sul do país são direcionados ao norte, região mais árida.

Austrália

Há uma cidade no país chamada Perth, que é considerada a mais seca. O país como um todo sofre no verão com queimadas. Como os reservatórios de água foram reduzidos a um sexto do que continha antes, eles construíram estações para dessalinização da água coletada no Oceano Pacífico, tornando-a potável.

Outro projeto é utilizar os reservatórios de água subterrânea, uma vez que o processo de dessanilização consome muita energia. Eles injetaram em aquíferos água já utilizada pelos habitantes, após tratamento, e agora se beneficiam da água.

Nova Iorque

A estratégia do governo local foi, em meados de 1990, iniciar um programa de proteção às nascentes e mananciais de água, evitando gastos com tratamento ou busca de novas fontes de abastecimento.

O governo adquiriu terras onde se localizam estas nascentes, protegendo também a vegetação. Outro ponto foi a educação da população, o que reduziu o consumo de água per capita de 204,1 galões por dia em 1991 para 125,8 galões/dia em 2009.

Zaragoza

O principal problema na cidade espanhola era a falta de conscientização dos moradores, que desperdiçavam muita água nos anos 90. Assim, o governo criou incentivos para a compra de aparelhos domésticos econômicos, desde chuveiros a vasos sanitários, cuidados para evitar vazamento e melhoria no uso da água em espaços públicos.

Em um ano eles reduziram o gasto com água em 1 bilhão de litros.

Cidade do Cabo

Como já mencionamos em um post anterior, a Cidade do Cabo estava próxima do dia zero, sem água. Nos anos 2000 um estudo mostrou que cerca de uma piscina olímpica era perdida por hora devido aos vazamentos em redes de água. Assim, em 2001 começaram um grande projeto para conserto dos encanamentos da população – investimento de 1 milhão de dólares, mas que teve retorno em menos de 6 meses.